Até que…

No Capão, sem metrô
O povo olhava entre si.
Cadê o ônibus, não chegou
Eis que surge um metro. Foi como as lotações,
Tudo apertado…
Ía tudo muito bem, além do calor, é claro,
Até que…

Santo Amaro, não chegou
O povo reclamava entre si.
Cadê que o metrô anda, horror
Todos nutrem o mesmo ar, sem condições,
Sem ar condicionado…
Ía tudo muito bem, passaram mal, é claro,
Até que…

Botão vermelho, se apertou
O povo revoltava-se entre si
Porta abriu, povo pulô!
E as nuvens a olhar, lamentações,
Povo enfileirado…
Ía tudo muito bem, homem como animal, claro,
Até que…

A diversão acabou,
O homem egoísta de si
Cada um pra um canto, ferrô!
E a ferrugem a anunciar, as estações,
Povo maltratado…
Ía tudo muito bem, até a plataforma, claro,
Até que…

O homem não viu mais ninguém…
E ninguém fez mais nada!

Foto e Poema: Rodrigo Sousa & Sousa

Mundo em Foco

Mundo em Foco é um grupo formado por jovens malucos, engajados com questões sociais que envolvem a comunidade. O grupo trabalha diretamente com diversas tecnologias e temas: tv, vídeo, cinema, internet, fotografia, artes plásticas, meio ambiente, teatro, entre outros. Acreditamos na democratização das ferramentas e das informações que sensibilizem o indivíduo à comunicação e ao seu desenvolvimento como ser humano. A equipe realiza ações diretas nos locais aos quais está inserida, realizando oficinas e exposições fotográficas e produzindo, finalizando, exibindo vídeos e promovendo eventos que dialoguem com a comunidade.

Deixe uma resposta